Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudanti.
Follow Me
Categorias do Blog
Últimos Posts
Arquivos
Search
TOP
Diário de um Criminalista – Domingo – Sábado à noite tenso - Marcelo Campelo Advogado
14180
post-template-default,single,single-post,postid-14180,single-format-standard,eltd-core-1.1.2,eltd-boxed,awake-ver-1.2,eltd-smooth-scroll,eltd-smooth-page-transitions,eltd-mimic-ajax,eltd-grid-1200,eltd-blog-installed,eltd-default-style,eltd-fade-push-text-right,eltd-header-classic,eltd-sticky-header-on-scroll-down-up,eltd-default-mobile-header,eltd-sticky-up-mobile-header,eltd-menu-item-first-level-bg-color,eltd-dropdown-default,eltd-,eltd-fullscreen-search eltd-search-fade,eltd-side-menu-slide-from-right,wpb-js-composer js-comp-ver-6.7.0,vc_responsive

Diário de um Criminalista – Domingo – Sábado à noite tenso

Marcelo Campelo Advogado / Diário de um Criminalista  / Diário de um Criminalista – Domingo – Sábado à noite tenso
Advogado Criminal Marcelo Campelo

Diário de um Criminalista – Domingo – Sábado à noite tenso

Curitiba, 04 de julho de 2018

Diário de um criminalista – Sábado à noite tenso

Eu estava assistindo minhas séries favoritas no Netflix e por sorte não abri nenhum vinho, pois meu sábado iria ficar tenso. Nós que trabalhamos na área criminal temos que estar sempre preparados para a qualquer momento sermo chamados para atuar.

O celular tocou. Cliente detido se dirigindo para a Delegacia de Trânsito. Lá vamos nós!

Dirigi-me ao local da blitz para entender em primeiro lugar o que aconteceu, pois sempre temos que nos preparar, pois neste meus anos de labuta criminal sempre tem detalhes que os clientes não percebem. Enfim, conversei com o oficial responsável pela fiscalização.

Ele foi muito educado e me informou que meu cliente se recusou a soprar o bafômetro e ainda discutiu com os guardas proferindo palavras de baixo calão, então, além do problemas da suposta embriaguez haveria um problema de desacato.

Peguei meu carro e fui até a delegacia, onde a confusão estava armada.

Realmente meu cliente estava alterado e por isso foi algemado. Sei que não é fácil, mas devemos nos controlar quando estamos sendo fiscalizados, seja em qualquer situação principalmente em uma blitz. Ninguém é obrigado fazer prova contra si, mas fazer escândalo só piora as coisas.

Após uma longa negociação, consegui que fossem retiradas as algemas, pois não se trata de uma pessoa violenta e depois de alguma conversa também ficamos sabendo que o policial o provocou. Meu cliente se acalmou e podemos colher seu depoimento e ele assinou o termo circunstanciado e agora responderá por um crime previsto da lei de pequenas causas,

Para resumir, teremos que fazer a sua defesa e ele teve muita sorte que pudemos atuar rapidamente e garantir a aplicação da lei.

O que posso deixar de lição deste episódio é que não se deve jamais discutir com uma autoridade, pode-se e se deve colocar seus direito, mas sempre de forma civilizada para não deixar margem;

Esse foi o caso.

Marcelo Campelo

OAB/PR 31366

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

× chamar