Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudanti.
Follow Me
Categorias do Blog
Últimos Posts
Arquivos
Search
TOP
Empregado que morre em Acidente, qual a responsabilidade criminal de empresa? - Marcelo Campelo Advogado
16709
post-template-default,single,single-post,postid-16709,single-format-standard,eltd-core-1.1.2,eltd-boxed,awake-ver-1.2,eltd-smooth-scroll,eltd-smooth-page-transitions,eltd-mimic-ajax,eltd-grid-1200,eltd-blog-installed,eltd-default-style,eltd-fade-push-text-right,eltd-header-classic,eltd-sticky-header-on-scroll-down-up,eltd-default-mobile-header,eltd-sticky-up-mobile-header,eltd-menu-item-first-level-bg-color,eltd-dropdown-default,eltd-,eltd-fullscreen-search eltd-search-fade,eltd-side-menu-slide-from-right,wpb-js-composer js-comp-ver-6.7.0,vc_responsive

Empregado que morre em Acidente, qual a responsabilidade criminal de empresa?

Marcelo Campelo Advogado / Diário de um Criminalista  / Empregado que morre em Acidente, qual a responsabilidade criminal de empresa?

Empregado que morre em Acidente, qual a responsabilidade criminal de empresa?

O Brasil, infelizmente, diga-se, é um dos países recordistas em acidentes de trabalho. Tal estatística, além de destruir vidas, quando pessoas ficam aleijadas ou perdem a vida, acabam por carregar o sistema previdenciário do país.  

No entanto, apesar da triste situação, devido de tratar de vidas humanas, o Brasil têm sistema de proteção ao trabalhador bem rígido. Existem, na maioria das empresas, os técnicos de segurança do trabalho, os engenheiros de segurança, profissionais aptos a avaliar os riscos de cada função e indicar os equipamentos de proteção adequados. Outro ponto positivo, são as estatísticas, a despeito dos números tristes revelados, elas nos mostram a situação enfrentada pela mão de obra fabril e da construção civil.

A idéia do presente artigo foi em razão da triste notícia da morte de um empregado em uma fábrica de trituração de artefatos de cimento. Não se analisará a questão laboral, mas sim, se existe a possibilidade de responsabilização criminal da empresa e dos seus dirigentes. 

A  legislação brasileira não prevê a punição criminal da pessoa jurídica para casos de crimes vinculados ao trabalho. Existem punições às empresas quando se verifica, crimes ambientais e do consumidor, caso de Brumadinho por exemplo. Então, o ressarcimento contra a empresa será de natureza cível e trabalhista.

Todavia, na esfera criminal, pode-se investigar um pouco mais o fato e se criar hipóteses de responsabilização. Como ocorreu uma morte a Delegacia de Homicídios será acionada e um inquérito para investigar as causas será aberto. 

A Autoridade Policial ouvirá os proprietários da empresa, o responsável pela gestão da empresa, quem analisou os riscos da atividade, quais as orientações e treinamentos realizados com o trabalhador, verificará se a empresa tem todos os alvarás de funcionamento, se o empregado acidentado está com sua previdência em dia,  seu perfil profissional preenchido corretamente, bem como sua carteira de trabalho.

Diante deste documentos e depois de ouvir todas as pessoas, inclusive colegas de trabalho e até mesmo peritos do Instituto de Criminalística, como da Delegacia do Trabalho, concluírá se o fato foi culposo, negligência, imprudência ou imperícia, doloso, dolo eventual, ou realmente um acidente.

Os crimes culposos são aqueles cometidos por negligência, imprudência ou imperícia. No presente caso, na ocorrência, da falta de um Equipamento de Proteção individual, de um treinamento ou até mesmo imprudência do trabalhador.

Já os crimes dolosos, são aqueles cometidos com intenção, o agente planejou e executou o fato, por exemplo, um colega, inimigo do trabalhador, subiu e o empurrou no triturador, não se trata da hipótese, a princípio, mas a Polícia precisa investigar.

Quando se refere ao crime cometido por dolo eventual, significa dizer que alguém assumiu um risco sobre algo que não deveria ser realizado. Digamos, a utilização de um Equipamento de Proteção mais sofisticado, um dispositivo de segurança na máquina. 

A importância de se distinguir e se investigar sobre a forma dos acontecimentos fático é o rito processual. Se o crime for culposo, além da pena ser menor, será julgado por um juiz togado, se o crime for doloso será julgado pelo Tribunal do Júri, cujas consequências são imprevisíveis.

Acidentes acontecem, mas cabe a todos trabalhar para diminuir as estatísticas. Infelizmente, a pena aplicada, seja para um crime culposo ou doloso, não trará a vida do ente querido de volta, mas servirá de prevenção para aqueles que insistem em desrespeitar as normas de segurança.

Marcelo Campelo Advogado Criminalista

OAB/PR 31366

marcelo@marcelocampelo.adv.br
(41) 30538800
(41)9 99144464

Rua Francisco Rocha, 62 CJ 1903, Curitiba, Paraná, Brasil, CEP 80420-010

    advogado criminal advogado criminalista advogado de defesa art 217 Care codigo de processo penal codigo penal Colors crime crimes crimes digitais criminalista desembargador direito criminal direito médico direito penal direito processual penal direitos do réu empresariais estelionato estupro furto habeas corpus Healthy Home Ideas importunação sexual Inspiration juiz liberdade provisória Lifestyle marcelo campelo marcelo campelo advogado criminalista ministério publico oab pe 31366 Prisão Preventiva promotor responsabilidade civil sonegação stf stj Supremo tribunal federal tjpr Travel Work

    No Comments

    Sorry, the comment form is closed at this time.

    × chamar